domingo, 15 de novembro de 2009

HISTÓRIA: USO SEXUAL DO VIBRADOR

A histeria foi uma antiga doença psicológica que na década de 1920 foi diagnosticada por Freud como de origem sexual, causa que no jargão popular moderno poderíamos chamar de tesão reprimido. Os sintomas eram graves: pânico, perda do autocontrole e até paralisia, surdez ou cegueira. O que eu não sabia é que muito antes de Freud, textos médicos do Século I já prescreviam terapêutica mais eficiente que fazer digressões sobre a infância: massagear o clitóris das pacientes até o paroxismo (orgasmo). Como a terapia requeresse certa constância, os doutores costumavam repassar o procedimento para as enfermeiras. Até que, na virada do Século XVIII para o XIX, alguém teve a brilhante idéia de prescrever tratamento em casa dando uso específico a um equipamento preexistente: o vibrador. “Máquina de eletromassagem do Dr. John Butler para curar doença em casa”, dizia um anúncio da época. Foi um sucesso. Parece ter havido uma epidemia da enfermidade porque o eletrodoméstico tornou-se o 5º mais comum nas residências. Depois de comprar máquina de costura, ventilador, chaleira e torradeira elétricas, era a vez do vibrador.

Inspirado em artigo de Mara Hvistendahl para a Scientific American de Setembro de 2009.

― 072 ―

Um comentário:

clofranklin disse...

Essa história é simplesmente espetacular!!!