sexta-feira, 6 de março de 2009

A IDÉIA BÁSICA DE DARWIN E O QUE HOJE SE PESQUISA

Vamos relembrar a idéia básica da teoria da evolução. O DNA de uma célula embrionária é copia do DNA dos pais, 50% de cada. Se a cópia fosse sempre perfeita, não haveria evolução das espécies, pois nunca apareceriam novos genes. É preciso haver um erro no processo de cópia para surgir um gene inédito que poderá ser inoperante, acarretar uma má-formação fatal ao embrião ou ser funcional. Neste caso, quanto mais adequada à reprodução for sua função, mais chances terá o hospedeiro de gerar descendentes e passar esse gene adiante. Em contrapartida, genes que expressam atributos desfavoráveis à procriação desaparecem com a morte dos seres que não se reproduzem.

Esse processo que faz os genes mais favoráveis à reprodução se proliferarem, e não os menos favoráveis chama-se Seleção Natural e funciona para todas as espécies desde o surgimento da vida na Terra. É ele que nos assegura que todas as características de quaisquer espécies foram selecionadas exclusivamente por sua eficiência reprodutiva. Até a sobrevivência não é um fim em si, é apenas uma pré-requisito à reprodução, caso contrário, mães não arriscariam suas próprias vidas para salvar a dos filhos, como acontece em situações extremas.

O que Darwin apenas indicou, mas que agora esta sendo pesquisado e comprovado é que o aparato reprodutivo humano construído geneticamente pela Seleção Natural não se limita ao corpo e sua funcionalidade, inclui emoções, sentimentos, bem como nossa moral e ética. O que mostro no livro “Dá trabalho ser feliz”, e, aos poucos, também neste blog, é que a compreensão do evolucionismo ajuda a simplificar nosso cotidiano, torna mais fácil fazer dieta, exercícios, trabalhar, combater o estresse, namorar e até a constituir uma família mais feliz.

― 033 ―

Um comentário:

Teresa disse...

Flávio,deu vontade de ler o seu livro só pelo pouco que vislumbrei em seu blog.Quero descobrir o que herdei,de positivo, dos meus ancestrais..rsrsrsrs
Abraços Teresa